A concepção de Homem em Tragtenberg: compreensão necessária para problematizar a felicidade no trabalho

Wagner Rafael Rodrigues, Rossana Cristini Floriano Jost

Resumo


Considerando que o ser humano é um ser complexo e sua natureza indeterminável, esta pesquisa aborda-o como ser social. O problema está em determinar como a relação ontológica marxiana se apresenta nas elaborações de Mauricio Tragtenberg. O objetivo é analisar o modo como Mauricio Tragtenberg se apropria da concepção ontológica marxiana para elaborar as críticas às formas de gestão que embotam o trabalhador no sociometabolismo do capital. A pesquisa trabalha primeiramente com as propostas de Marx em torno do homem nos Manuscritos econômicos filosóficos. Nesse texto, Marx demonstra quanto o homem está alienado pelo trabalho, em vez de ser protagonista de sua vida, é escravo do trabalho. Num segundo momento da pesquisa, enfocam-se as reflexões de Tragtenberg em sua obra Burocracia e ideologia, na qual ele trata das diversas formas de gestão e quanto elas alienaram o ser humano. Nesse sentido, conclui-se que tanto Marx quanto Tragtenberg postulam o ser humano como ser alienado, mas, por viverem em contextos difer tes, suas concepções divergem. Marx aponta que é com o fim da sociedade de classes que o homem resgatará dignidade, enquanto Tragtenberg visa o ser humano como ser livre e, mesmo injustiçado pelo trabalho, não perde sua dignidade, mas o autor acredita que é preciso engajar-se num compromisso social que objetive condições justas de trabalho para a realização integral e plena do humano.

Palavras-chave: Homem. Trabalho. Alienação. Capital. Administração.


Palavras-chave


Homem. Trabalho. Alienação. Capital. Administração

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.