POLÍTICA E DETERIORAÇÃO DO RESULTADO FISCAL: A DÍVIDA PÚBLICA E OS LIMITES DA INTERVENÇÃO NO BRASIL, DE 2000 A 2017

Emely Carolin de Moraes, Mustafa Majdi Walid Mustafa Kasem Dawud, Carlos Ilton Cleto

Resumo


Este trabalho aborda os limites da atuação do Estado com suas políticas fiscais, observando suas consequências, erros e acertos, assim como, suas contradições e coerências com as teorias econômicas. A origem do problema reside na responsabilidade que o Estado  tem em exercer a atividade financeira, visando ao bem comum da população, e seu reflexo na intervenção da economia para garantir dois objetivos principais: estabilidade e crescimento, bem como, a busca pela correção das falhas de mercado, mantendo a estabilidade,  a melhora a distribuição de renda e o aumentono nível de emprego, entre outros. O objetivo principal é verificar o comportamento do resultado primário e nominal, tal como, da dívida pública no Brasil nesta última década e meia compreendidas entre 2000 – 2017. Por  meio da pesquisa bibliográfica em livros de teorias econômicase a pesquisa documental em sites como do Banco Central do Brasil, foi possível observar que as políticas adotadas, pelo governobrasileiro, de barateamento de crédito, redução de impostos e crescimento  das despesas públicas, contribuíram com a deterioração do resultado fiscal.


Palavras-chave


Políticas Fiscais. Intervenção. Dívida Pública

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.