DIAGNÓSTICO DA PRODUÇÃO DE ODOR EM ESTAÇÕES DE TRATAMENTO DE ESGOTOS DOMÉSTICOS E SEUS PROBLEMAS RELACIONADOS

Jéssica Cristine Gontijo, Ana Paula Lang Martins Madi

Resumo


As Estações de Tratamento de Esgotos (ETEs) possuem um papel fundamental e contribuem para a melhoria das condições de saúde da população e do meio ambiente. Entretanto, a relação entre as unidades de tratamento de esgotos e a população a ser beneficiada,  nem sempre é harmônica. O maior desafio e dificuldade de relacionamento são normalmente causados pelos incômodos que uma ETE pode vir provocar em uma área residencial, devido a emanação de maus odores. Esses maus odores associados aos sistemas de   esgotos urbanos é uma questão extremamente complexa e a principal causa da exalação de maus odores durante o tratamento de águas residuais é a geração descontrolada de sulfetos, principalmente ao sulfeto de hidrogênio (H2S). Este trabalho teve por objetivo caracterizar uma ETE localizada na cidade de Curitiba-PR e identificar os principais pontos de geração de odores da ETE e seus problemas relacionados. Os resultados obtidos demonstram que os principais pontos de geração de odor, enquadrados como forte, são o  gradeamento, RALF’s, adensador por gravidade e pátio de cura. Em entrevistas realizadas com os moradores ao entorno da ETE, foram relatadas reclamações e questionamentos referente ao odor, principalmente no período do inverno.

Palavras-chave


Estação de Tratamento de Esgotos. População. Odor

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.