MÍTICAS, PSICOLÓGICAS E TRAGÉDIAS CARIOCAS: UM RECORTE DA DRAMATURGIA RODRIGUEANA

Luis Gabriel Venancio de Sousa, Charlott Eloize Leviski

Resumo


O presente artigo pretende comprovar a importância literária de cada fase de Nelson Rodrigues, perfazendo e estabelecendo uma trajetória de sua dramaturgia. A crítica teatral relativa à época em que as peças foram publicadas esteve mais voltada para a fase psicológica e mítica do dramaturgo, em contraponto às tragédias cariocas, que eram consideradas literariamente inferiores devido ao seu caráter popular. Para tanto, foram selecionadas quatro peças, a partir da classificação feita por Sábato Magaldi: “Vestido de noiva” (peças psicológicas), “Anjo negro” (peças míticas), “A serpente” e “O beijo no asfalto” (tragédias cariocas I e II). A pesquisa se desdobrou em leituras analítica, reflexiva e comparativa dessas peças. Verificou-se uma recorrência temática que corresponde a: morte, amor, traição, sexo, comicidade, grotesco e relações familiares. Ainda vale ressaltar a falácia da crítica negativa atribuída às tragédias cariocas: a de que a linguagem é inferior, pois retrata pessoas da camada popular. Comprovou- que a inovação literária começou desde “Vestido de noiva” mediante a inserção da linguagem do cotidiano por meio de marcas linguísticas da oralidade.

Palavras-chave: Nelson Rodrigues. Análise Comparativa. Crítica Social. Fases Literárias.


Palavras-chave


Nelson Rodrigues. Análise Comparativa. Crítica Social. Fases Literárias

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.