A MERCÊ PASSAGEIRA DE INSTANTES QUE NÃO DURAM: AS REPRESENTAÇÕES DA MORTE NA POESIA DE RICARDO REIS

Murillo Hochuli Castex, Luiz Rogério Camargo

Resumo


O presente trabalho tem por objetivo analisar os símbolos de representação da morte na poesia de Ricardo Reis, heterônimo neoclássico de Fernando Pessoa, bem como instigar a reflexão sobre a maneira como tais simbolismos influenciam na visão de mundo    apresentada pelo poeta. Para tanto, buscou-se identificar, ao longo de suas odes, metáforas relativas à ideia de finitude. Nesse contexto, o material bibliográfico constitui-se de ensaios referentes à obra de Ricardo Reis, abrangendo textos analíticos do próprio Pessoa e  de outros críticos literários. Por meio da pesquisa bibliográfica, buscou-se compreender o tema da morte como uma constante para o heterônimo, uma vez que este apresenta-se como figura de essencial importância para a poesia em língua portuguesa concebida a partir  da modernidade.

Palavras-chave


Ricardo Reis. Morte. Odes. Símbolos

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.