RIR PARA NÃO CHORAR: O RETRATO CRÍTICO DA MULHER DE CLASSE MÉDIA NA CRÔNICA DE LUIS FERNANDO VERISSIMO

Daniele Gaio Hoffmann, Luiz Rogério Camargo

Resumo


Este artigo teve como objetivo fundamentar o pressuposto de que Luis Fernando Verissimo se utiliza do humor como instrumento de crítica social aos comportamentos e aos costumes da classe média brasileira. Para tanto, foram analisadas quatro crônicas do autor, inéditas em livro, que fazem parte da compilação Amor Verissimo. A figura feminina está presente em quase todas as crônicas da obra em questão. Sendo assim, tomamos como objeto de estudo e análise a figura feminina, casada e de classe média. Demos início à pesquisa com a fundamentação teórica sobre o gênero textual crônica e também sobre algumas perspectivas acerca da teorização do riso, conceitos que sustentam o recurso fundamental que Verissimo utiliza em suas constatações do dia a dia, ou seja, em suas crônicas literárias. Um dado verificado se sustenta no destaque dado à voz feminina indo ao encontro das inúmeras conquistas da mulher contemporânea, que ainda estão sendo construídas, mas que, na forma literária, já deixam de ser personagens títeres e presentam, de alguma forma, a mulher com vontade própria, com escolhas bem definidas e papel social demarcado.

Palavras-chave: Crônica. Riso. Mulher. Classe Média.


Palavras-chave


Crônica. Riso. Mulher. Classe Média

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.